Conversando sobre sexualidade

Atualmente, desde muito cedo as crianças começam a conhecer seu corpo e as diferenças do sexo oposto. Entre 3 a 6 anos são iniciadas perguntas em relação a sexualidade e, muitas vezes, os pais ou conhecidos hesitam em relação a quais respostas darem aos filhos. Com este silêncio, a criança começa a formular em sua mente ideias diversas sobre o próprio corpo.

Muitos pais se questionam de que forma e qual o momento ideal para conversar com seu filho sobre a sexualidade. Nesse caso, é importante iniciar a conversa quando a criança começa a se interessar sobre o assunto, podendo ser abordado com respeito ao seu desenvolvimento emocional. Essa conversa deve ser de maneira simples, de acordo com sua idade e à medida que sua curiosidade for crescendo, tornando o tema mais educativo.

Quando não surgem perguntas e os filhos são adolescentes, é necessário que os responsáveis divida com os filhos os sentimentos, explicando que o ato sexual apesar de ser prazeroso, pode também acarretar doenças sexualmente transmissíveis, gravidez, e que para isso é necessário utilizar métodos contraceptivos. Devem explicar também que o próprio corpo e de outras pessoas devem ser respeitadas, e que ninguém pode obriga-lo a fazer algo que não queira, já que estamos vivendo em um mundo tão perturbador em relação aos assuntos de abusos sexuais, infelizmente.

Portanto, papais, é de grande importância dialogar de forma natural diante às duvidas dos filhos (sendo respostas claras ao entendimento da criança/adolescente); evitem transmitir, aos mesmos, vergonha ou constrangimento em relação aos questionamentos; caso não consiga responder a pergunta, digam que é uma boa pergunta e que retornarão o assunto mais tarde (mas não fuja do assunto dando respostas fantasiosas); dêem abertura para que a criança aborde qualquer assunto, acabando com suas dúvidas; expliquem as diferenças corporais com nomes corretos; diga como acontece seu crescimento (menstruação, gravidez, entre outros); e o mais importante: ensinem o respeito com o próprio corpo e com o próximo.